Weby shortcut 1a5a9004da81162f034eff2fc7a06c396dfddb022021fd13958735cc25a4882f
Youtubeplay db0358e6953f0d0ec2cd240bca6403729d73b33e9afefb17dfb2ce9b7646370a
noticia1305916935_ORIG.jpg

União foi a marca característica do I Simpósio Nacional de Musicologia e III Encontro de Musicologia Histórica

Por Fabricia Vilarinho. Criada em 31/05/11 00:21. Atualizada em 21/08/14 11:45.

Confira os principais acontecimentos do evento sediado na histórica cidade de Pirenópolis

 

   A cidade histórica de Pirenópolis, no Estado de Goiás, viveu nos últimos dias momentos altamente significativos e produtivos para a área de Musicologia no Brasil. Reunindo pesquisadores da musicologia nacional, aconteceu entre os dias 11 a 13 de maio de 2011, o I Simpósio Nacional de Musicologia promovido pela Escola de Música e Artes Cênicas (EMAC) da Universidade Federal de Goiás (UFG) em parceria com o III Encontro de Musicologia Histórica, promovido pelo Centro de Estudos de Musicologia e Educação Musical da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).
   
   Tal parceria entre instituições do porte da UFG e UFRJ só poderia resultar em uma experiência extremamente rica para todos que lá estiveram. Sob a presidência da Profª Drª Ana Guiomar Rêgo Souza (EMAC/UFG) e da Profª Drª Vanda Lima Bellard Freire (UFRJ), e coordenação dos professores Magda Clímaco, Sônia Ray, Othaniel Alcântara e Consuelo Quireze, o evento contou com sete MESAS REDONDAS cujo objetivo era expor os caminhos plurais e transdisciplinares da musicologia na atualidade. Buscou-se o diálogo com a História Cultural, História Social, Antropologia, bem como com a Performance Musical, trazendo nomes como o do Drº Paulo Castagna (UNESP), Drª Thereza Negrão (UnB),  Drª Vanda Lima Bellard Freire (UFRJ), Drº Heron Vargas Silva (UDESC), Drª Ana Guiomar Rêgo Souza (EMAC/UFG), Drº Adeilton Bairral (CBM), Drª Beatriz Duarte de Magalhães (UnB), Drª Glacy Antunes de Oliveira (UFG), Drº Ângelo Dias (UFG),  Drº Adalberto Paranhos (UFU), Drº Avelino Romero (UNIRIO), Drª Márcia Taborda (UFRJ), Drª Sônia Ray (UFG), Ms. Maria Lúcia Mascarenhas Roriz (UFG), Drº Marshal Gaioso Pinto (IFG),  dentre outros. O evento também contou com a participação da cantora e pesquisadora romena Drª Liliana Margareta Bizibeche da Universidade de Évora, Portugal.

   Além das MESAS, foram aprovadas pela Comissão Científica 37 comunicações de pesquisadores de Goiás, Brasília, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo, Minas Gerais, Piauí, Mato Grosso.

   Estiveram presentes na abertura do I SIMPÓSIO NACIONAL DE MUSICOLOGIA/III ENCONTRO DE MUSICOLOGIA HISTÓRICA, na manhã do dia 11 de maio, no Auditório da Universidade Estadual de Goiás (UEG), personalidades que contribuíram de forma decisiva para a realização do evento. A fala da Pró-Reitora de Pesquisa e Pós-Graduação da UFG, Profª Drª Divina das Dores de Paula Cardoso, ali representando o Magnífico Reitor da Universidade Federal de Goiás, Prof. Drº Edward Madureira Brasil, ressaltou a grande importância da Escola de Música e Artes Cênicas da UFG como pólo do pensar e fazer musical dentro da sociedade brasileira. O prefeito de Pirenópolis, Sr. Nivaldo Antônio de Melo, expôs a satisfação dos pirenopolinos em receber um evento de tão grande porte.

   Além das comunicações, mesas redondas, sempre pautadas por interessantes e pertinentes discussões e com um número expressivo de público, o evento brindou os participantes e a audiência em geral com a apresentação de três concertos memoráveis realizados no “Theatro de Pyrenópolis”, construção que remonta ao XIX, e na oitocentista Matriz de Nossa Senhora do Rosário. No dia 11 aconteceu a estreia da Comédia Mágica “A Loteria do Diabo”, de 1858, com libreto de Joaquim Augusto D’Oliveira (1827-1904) e Franscisco Palha (1824-1890) e música de Joaquim Casimiro Júnior (1808-1962), resultado de trabalho de pesquisa realizado por Vanda Freira. Foi dirigida pela experiente Profª Drª Urânia Maia (UFG), com preparação corporal da Profª Drª Valéria Figueiredo (UFG) e sob a direção musical do Profº Drº Ângelo Dias e do Profº Drº Carlos Henrique Costa (ambos da UFG). No total, mais de uma centena de músicos, cantores, atores, todos da Escola de Música e Artes Cênicas da UFG, brilharam no “Theatro de Pyrenópolis”, para o deleite do público em geral.

   No dia seguinte foi a vez do Recital de Música Sacra na Matriz de Nossa Senhora do Rosário, com o Coro de Câmara da EMAC/UFG, sob a condução do maestro Ângelo Dias. Pontos marcantes dessa apresentação foram a Ave Maria de Anton Bruckner (1824-1896), que explorou o potencial acústico da Matriz, e de peças localizadas em acervos da Cidade de Goiás e da cidade de Jaraguá/GO, que encantaram, principalmente os participantes de outros Estados do Brasil que ficaram, no mais das vezes, impressionados com o nível de excelência musical das obras do Século XIX no Estado de Goiás.

   A última apresentação, acontecida também no “Theatro de Pyrenópolis”, no dia 13, foi uma seleção de árias retiradas de dramas satíricos de autoria de Antônio José da Silva, o Judeu, com música atribuída ao compositor português Antônio Teixeira, sob a direção musical da pianista e pesquisadora Maria Lúcia Roriz (UFG), com cenografia, figurino, direção e produção de Demétrio Pompeu de Pina.

   Se fosse necessário utilizar apenas uma palavra para sintetizar esse importante evento, sem dúvida o vocábulo seria: UNIÃO. 1) dos idealizadores e organizadores; 2) dos pesquisadores de diversos estados do Brasil que contribuíram de forma valiosa com as suas comunicações; 3) dos artistas que brindaram o público com apresentações musicais de alto nível; 4) dos patrocinadores (EMAC/PROAD/PROEC/UFG, CAPES, FUNAPE, MEC, UFRJ,UEG, UFU e Secretaria de Cultura e Secretaria de Turismo da cidade de Pirenópolis); 5) dos professores (Magda Clímaco, Sônia Ray, Othaniel Alcântara, Consuelo Quireze, Maria Lúcia Roriz, Vanessa Bertolini, Ângelo Dias, Carlos Henrique Costa, Urânia Maia, Valéria Figueiredo, Fernanda Albernaz, Cláudia Zanini); 6) dos funcionários técnico-administrativos (Deborah Pimentel, Fabrícia Vilarinho, Leonardo Victtor e Aires Francisco); e 7) dos monitores (André, Lucas Coelho e Gleici).

   Tamanha união já deixa a certeza de que ano que vem teremos mais uma edição deste evento, que, sem dúvida, pautará pela excelência científica e artística, animadas pela ousadia e vontade de realizar muito mais pela musicologia nacional.

Prof. Robervaldo Linhares

 

Foto: Fabrícia Vilarinho

Prof. Edward Madureira Brasil - Magnífico Reitor da UFG, Profa. Glacy Antunes, Profa. Magda de Miranda Clímaco (UFG), Profa. Vanda Bellard Freire (UFRJ), Profa. Ana Guiomar Rêgo Souza - Diretora da EMAC/UFG, e o Prefeito de Pirenópolis, Sr. Nivaldo Antônio de Melo, aguardam início do espetáculo "A Loteria do Diabo" no Teatro de Pirenópolis.

 

Comédia musical A Loteria do Diabo. No elenco, alunos dos cursos de Música e Artes Cênicas da EMAC.

 

Comédia musical A Loteria do Diabo. No elenco, alunos dos cursos de Música e Artes Cênicas da EMAC.

 

Foto: Fabrícia Vilarinho

Coro de Câmara da EMAC sob a regência do maestro Ângelo Dias, na Matriz de Nossa Senhora do Rosário.

 

Foto: Fabrícia Vilarinho

Momento histórico: participação do Sr. Pompeo de Pina que recebe os cumprimentos da Diretora e demais professores da EMAC.

 

Foto: Robervaldo Linhares

Cena do espetáculo de encerramento: Operetas de Antônio José da Silva, o Judeu (1705-1739), sob a direção musical da Profa. Maria Lúcia Roriz.

 

 

 



 

Fonte : Emac/ Prof. Robervaldo Linhares

Listar Todas Voltar